página inicial   |    quem somos   |    como pesquisar   |    anuncie   |    fale conosco
     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News
PESQUISA RÁPIDA:
produto ou serviço:


Acidente - Cerest identifica riscos em área onde soldador morreu em metalúrgica de Piracicaba


28/11/19

 Órgão apontou quatro falhas e comunicou que vai cobrar a correção delas pela empresa.

 
O Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Piracicaba (SP) divulgou nesta quinta-feira (28) que identificou quatro falhas no local onde trabalhava o soldador de 45 anos que morreu após ser atingido por três peças na NG Metalúrgica, na quarta-feira (27).
 
Segundo o órgão, a empresa será cobrada a corrigir os problemas, que vão de armazenagem de peças denominadas de virolas a exposição dos funcionários a áreas perigosas.
 
Em relato sobre a vistoria divulgado ao G1, o Cerest observou que foi o segundo acidente em empresa metalúrgica na região de Piracicaba no qual houve batida entre as cargas durante movimentação delas.
 
"Nos dois acidentes de trabalho, [a carga] atingiu os trabalhadores sem que os mesmos pudessem se defender da situação de risco", aponta Alessandro José Nunes da Silva, técnico de Segurança do Trabalho do Cerest Piracicaba.
 
As constatações do centro de referência:
A base das virolas é pequena, o que diminui a estabilidade das peças;
Os sistemas de armazenagem das virolas são falhos, por causa da proximidade entre peças e do espaço reduzido para organizar todas as peças, consequentemente aumentando o risco de choque entre peças e de efeito dominó;
Ocorreu falha por falta de sistema de aprisionamento das peças decorrente da fragilidade da armazenagem (neste caso, seria necessária uma análise de risco da equipe de produção, qualidade e segurança para resolver a situação);
Permitir que trabalhadores fiquem em áreas perigosas.
O Cerest informou que, agora, a empresa será cobrada a corrigir as falhas apontadas e deve ampliar para a medida para outros setores, para eliminar os riscos.
 
"Alertamos todas as empresas, principalmente do ramo metalúrgico regional e estadual para os riscos presentes na movimentação e armazenagem de carga, porque este é o principal risco desta categoria dos últimos cinco anos na nossa região", ressalta Silva.
Segundo ele, a indicação é seguir a orientação da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que indica alguns princípios de prevenção durante movimentação de cargas:
 
Planejar todas as etapas do processo: descarregamento, armazenagem, processo e da expedição;
Eliminar todas as operações desnecessárias de transporte e manipulação de carga;
Afastar as pessoas do espaço delimitado para transporte, armazenagem e manipulação de carga;
Separar ao máximo as operações de transporte de carga para evitar choques entre as cargas;
Proporcionar espaço suficiente para o transporte, armazenagem e manipulação;
Evitar a elevação de cargas em altura acima dos trabalhadores;
Manter a estabilidade de equipamentos e cargas;
Proporcionar aos operadores uma boa visibilidade;
Proporcionar e manter uma comunicação eficaz.
 
Em nota, a NG informou que cumpre com os requisitos estabelecidos nas normas regulamentadoras do Ministério do Trabalho e possui estabelecidas boas práticas internas de segurança do trabalho. "Também realiza treinamentos contínuos de segurança de pessoal, dentre outros requisitos de saúde e segurança do trabalho. Com relação ao acidente ocorrido, informamos que empresa está colaborando com a apuração de todas as circunstâncias que levaram à sua ocorrência”, acrescentou.
 
O acidente
O acidente ocorreu por volta das 11h da segunda-feira, na unidade localizada na Estrada Lazaro Pedro De Oliveira, no Capim Fino. Nilson Pereira do Nascimento chegou a ser resgatado consciente para o Hospital da Unimed, mas não resistiu.
 
Segundo a Unimed, ele sofreu politrauma e o corpo foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) para averiguar a causa da morte. Nascimento estava na NG desde maio de 2009 e trabalhava na caldeiraria carbono.
 
“A empresa lamenta profundamente o ocorrido, informa que todas as ações cabíveis foram tomadas, inclusive, no acompanhamento hospitalar com a presença de nossa médica do trabalho, Dra. Renata, e a assistente social Ligia para acompanhamento da família”, informou a metalúrgica, em nota divulgada na segunda.
 
Caso anterior
É a segunda morte em uma metalúrgica de Piracicaba em menos de dois meses. No dia 8 de outubro, um funcionário de 30 anos morreu dentro da empresa Dedini, que fica na Rodovia Fausto Santomauro (SP-127).
 
Segundo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), ele foi atingido por uma peça quando trabalhava, após uma explosão. À época, a empresa informou que lamenta o ocorrido e que tinha iniciado uma apuração sobre a causa. Também acrescentou que está dando assistência aos familiares.
 


Fonte: G1 Piracicaba


Envie essa notícia para um Amigo


Seu Nome:

Seu E-mail:

Nome do Amigo:

E-mail do Amigo:

Mensagem:




Pesquisar Cursos













     Agenda:      Feiras    /    Cursos Presenciais    /    Eventos                                                                                     Receba o Viaseg News


Área do Anunciante                     Maquinas Industriais   /   Br Domínio Hospedagem de Sites   /