O Motorista e o Álcool

Luiz Roberto M. C. Cotti(*) linha.gif (1525 bytes)

Infelizmente, uma grande parcela da população, seja ela formada por jovens ou adultos, usa e abusa das liberdades de dirigir e beber. Pior que isso; muitas vezes assumem a condução de um veículo logo após beberem ou até mesmo bebem enquanto dirigem.

Estatísticas revelam que mais de 50% das mortes ocorridas em acidentes de trânsito são devidas ao estado de embriaguês de pelo menos um dos motoristas envolvidos ou até mesmo de um pedestre.

O final do ano se aproxima. Você lembra da última festa de final de ano em que esteve?

Você comeu e bebeu, comeu e bebeu, e bebeu, e... b-e-b-e-u, e ... beee-eee- beeeuuuu.

Depois desssspediu-ssssse várias vezes das mesmas pessoas e abraçado com sua sogrinha querida, seguiu para o veículo onde depois de 15 minutos, após várias tentativas, conseguiu acomodar toda a família. “Deu na partida e arrancou”. Arrancou inclusive alguns pedaços de guia e gritos dos passageiros durante o percurso. Chegando em casa, percebeu que a entrada da garagem havia encolhido e após algumas tentativas, finalmente conseguiu guardar o carro.

Naquela ocasião, suas pupilas estavam totalmente dilatadas, seus olhos supersensíveis à luminosidade, suas reações estavam lentas, sua coordenação confusa e seu juízo abalado.

Certamente, ALGUÉM LÁ EM CIMA impediu que no seu caminho houvesse um outro motorista nas mesmas condições em que você se encontrava. Neste dia você e sua família receberam o maior  presente de todos: SUAS VIDAS!!

Neste final de ano, seja consciente quanto às suas liberdades e não faça parte das estatísticas de acidentes de trânsito. Lembre-se:

- Seu corpo elimina o álcool a uma velocidade de uma dose (340 ml de cerveja; 85 ml. de vinho ou 30 ml. de licor) por hora. Portanto dê o tempo necessário à sua recuperação.

- A única coisa que se consegue com banho frio e café amargo é um bêbado acordado, gripado e que vai odiar café por  um bom tempo. Portanto até que cesse o efeito do álcool, não dirija!

- Seja honesto com você mesmo e não tenha vergonha dos amigos em dizer que está “alto”. Peça para alguém em condições de dirigir, que o leve para casa, ou chame um táxi.

- Se você não consegue nem dirigir uma caneta para assinar um cheque, quanto mais um carro.

- Se você tiver de dirigir, não beba. Se bebeu não dirija.

- Aos que não dirigem, antes de pedirem “carona”, avaliem as condições do motorista e evitem riscos.

Boas Festas a todos!

Luiz Roberto M. C. Cotti - Diretor da MC7 Marketing do Conhecimento
Formado em Engenharia de Operação Mecânica Automobilística (FEI) e Engenharia de Segurança do Trabalho (FUNDACENTRO), com especialização em Administração de Empresas (FGV) e Manutenção Industrial (IMT)
Coordenador Técnico do Grupo de Segurança (GSEG) do PROVAR-FIA/FEA da USP

E-mail: cotti@mc7.com.br