Neurose no Trânsito

Luiz Roberto M. C. Cotti(*) linha.gif (1525 bytes)

Será que a neurose do trânsito já te “pegou”?!

Faça uma avaliação (sincera) do modo como você se comporta na direção de um veículo. Abaixo estão algumas perguntas que podem ajudá-lo nesta reflexão.

1.   Você é aquele tipo de motorista que reclama de tudo e de todos e ainda acha que só você sabe dirigir?
2.   Você anda “colado” no veículo da frente e se irrita quando outro motorista procede da mesma forma?
3.   Você não consegue manter sua posição na pista e fica “costurando” para ganhar alguns metros, colocando sua vida e a de outros em risco?
4.   Você exige que se tome conhecimento de sua presença, acelerando em demasia, “cantando pneus” e tirando “finas”?
5.   Você é daqueles motoristas que surgem onde menos se espera, causando espanto e dando sustos em outros motoristas e pedestres?
6.   Você continua aprimorando a técnica de buzinar e piscar faróis?
7.   Você faz sempre valer os seus direitos no Trânsito?

Se você respondeu SIM à alguma das perguntas acima... CUIDADO!! A neurose do trânsito está te pegando!! É preciso desacelerar seu modo de dirigir senão você vai acabar envolvido em algum acidente (se é que já não se envolveu, não é?)

 Dicas para combater a neurose do trânsito

 ·   Planeje seu caminho com antecedência, evitando áreas escolares nos horários de entrada e saída de alunos, trechos em obras, regiões sujeitas à inundações quando em dias de chuva e situações outras divulgadas pela mídia.
·    Analise conscientemente seu modo de dirigir e faça um compromisso com você mesmo impondo-se limites.
·    Dez ou quinze minutos de antecedência nos horários de ida para o trabalho ou vice-versa, na maioria dos trajetos, representa um ganho significativo de tempo e estresse pois evitam-se congestionamentos e afobações.
·    Quando o congestionamento é inevitável, alivie as tensões com movimento circulares de pescoço, alongamento e relaxamento dos braços e pernas.
·    Use o bom senso e não descarregue seus problemas no trânsito ou no veículo. Afinal eles não têm culpa. 
·    Analise cada situação do tipo “Ufa!! Escapei por pouco!!” e assimile a nova atitude que a evitaria.
·    Assuma uma postura defensiva e ajude os motoristas (e pedestres) inseguros à chegarem sãos e salvos aos seus destinos.

Lembre-se de que nunca se é velho demais ou jovem demais para aprender a se tornar um motorista ainda melhor

 

Luiz Roberto M. C. Cotti - Diretor da MC7 Marketing do Conhecimento
Formado em Engenharia de Operação Mecânica Automobilística (FEI) e Engenharia de Segurança do Trabalho (FUNDACENTRO), com especialização em Administração de Empresas (FGV) e Manutenção Industrial (IMT)
Coordenador Técnico do Grupo de Segurança (GSEG) do PROVAR-FIA/FEA da USP

E-mail: cotti@mc7.com.br